quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Comunicado numero 4 do Presidente da Mesa da Assembleia Geral do CFB

Eleições de 18 de Outubro de 2014

CapturarcomentarioDespacho para aplicação pelos Serviços do CFB

Na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral do C.F.B., tenho vindo, nos últimos dias, a ser contactado por muitos Belenenses, dando-me conta de uma situação nova e pedindo a minha intervenção.

Pelo que me é dito, vários Belenenses estão a dar os passos necessários para regressar ao seu Clube, depois de algum tempo em que, todos nós sabemos, e por culpa de erros cometidos, falta de dinâmica de várias Direções que não colocaram em prática medidas de incentivo e de mobilização para a fidelização e angariação de novos Sócios, e por circunstâncias diversas, levou a que se tivessem afastado do Restelo. Os números , infelizmente, cada vez mais o têm demonstrado.

Na sociedade civil e na vida política, pessoalmente, entendo que o mais importante de tudo são as pessoas.

No Clube, porém, ainda que ele seja o conjunto dos seus Associados, o mais importante não são as pessoas, os sócios, mas sim a Instituição, o CFB e a defesa dos seus interesses e perenidade.

Daí que entenda que é muito positivo o momento actual de vinda ao Clube de Sócios que andavam mais afastados, do seu regresso. Significa que notaram, por certo, mais vida no CFB, mais crença no futuro, mais interesse em participar nas decisões que irão marcar esse futuro.

Assim, entendo que tudo deve ser feito para acarinhar os regressos, os pagamentos em atraso, a vinda de novas pessoas.

É fundamental !

Ao que me relataram já vários Sócios que se dirigiram aos Serviços do Clube para pagarem quotas em atraso, foram confrontados com uma situação nova de algum impasse e pouca clareza nas respostas obtidas na Secretaria pois que, desde sempre, um Sócio que na altura de umas eleições tenha quotas em atraso, pagando o que tenha em atraso, passará a constar dos Cadernos Eleitorais com direito a todos os votos que a sua antiguidade lhe confere.

Convém recordar que os estatutos exigem que, para votar, o Sócio tenha que ter, pelo menos, doze meses de filiação, artigo 26º, alínea a).

Por cada cinco anos de associado efetivo, os Estatutos conferem direito a mais um voto nas assembleias Gerais Eleitorais.

Razão pela qual, solicito aos Serviços que imprimam as listagens dos Cadernos eleitorais, o mais próximo possível da AG do dia 18 de Outubro, para que as alterações devidas aos pagamentos em atraso sejam em menor número possível.

Solicito ainda, para meu controlo, uso e orientação, uma listagem a esta data que me deverá ser entregue.

Ora, as regras desde sempre aplicadas no Clube e com as quais a actual Direção e também as que a precederam foram eleitas, são as seguintes:

nos Cadernos Eleitorais constam com os votos a que têm direito todos os sócios com a quotização em dia e, pelo menos, um ano de antiguidade.

Sempre que um Sócio que não tem as quotas em dia se dirige ao Clube para regularizar, efetua o pagamento, até ao dia da Assembleia, inclusivé (a secretaria mantém os serviços a funcionar e faz chegar à Mesa, durante a votação essa alteração e passa ao Sócio uma credencial que o atesta) e passa a constar dos Cadernos com direito a todos os votos que a antiguidade , desde o seu início como associado, lhe confere.

Nesta decisão, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral é soberano e a prática no Clube, nos atos eleitorais anteriores lhe conferem toda a legitimidade.

Em resumo, não é dada autorização aos Serviços, pela minha parte, como Presidente da MAG, para proceder a qualquer alteração relativamente ao que tem vindo a ser praticado e observado pelos competentes Serviços do CFB.

Já agora, relativamente a outras questões que outros associados me colocaram recentemente, como seja a que possa promover um amplo debate, sobretudo com difusão nos canais televisivos, vejo de forma muito positiva que isso seja feito. Pela minha parte, contactei e enviei já mensagens a alguns dos Senhores Diretores de jornais desportivos e canais televisivos com maior programação dedicada ao desporto, solicitações para que abram as suas portas e incentivem os candidatos para que isso seja feito.

O C.F. "Os Belenenses" e os seus Sócios só terão a ganhar com isso e a clarificação dos sócios para votar em consciência na escolha dos novos Corpos Sociais será maior.

O nome do Clube surgirá mais em público. Peço, agora, publicamente, aos líderes das candidaturas que se prontifiquem a fazê-lo. Com pena minha, não posso obrigar esses meios de comunicação a dar-lhes o espaço e promover os debates. Caberá aos sócios do CFB, em função da maior ou menor abertura de cada canal ou de cada jornal, dar a adequada resposta enquanto leitores futuros e consumidores.

Em todo o caso, devo dizer que, pelo que me tem sido dado ver e concluir, penso que tem havido um esforço pelos vários meios de comunicação social, em equilibrar, pelo menos ao longo da semana, o espaço e tempo concedido a cada candidatura. congratulo-me, francamente, com isso. De quando em vez, também devo referir, que me tenho deparado com noticias e "manchetes" que serão , necessariamente, encomendadas, o que é sempre de lamentar.

Mas, a cada um o seu ofício e mais não tenho que dirigir este apelo aos candidatos, em nome dos sócios e concluir com uma saudação sentida de:

Viva o "Clube de Futebol "Os Belenenses"

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Carlos Pereira Martins, Dr

Adenda ao Comunicado nº 4 do Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Eleições de 18 de Outubro de 2014

No uso e deveres das minhas competências estatutárias e na qualidade de Presidente da Mesa da Assembleia Geral do CFB e porque parece terem sido suscitadas algumas dúvidas relativamente à interpretação do Comunicado nº 4 venho deste forma aclarar a sua redação nos seguintes termos:

1 - Relativamente ao Artigo 26º dos Estatutos que versa sobre os Direitos dos Sócios estatui a sua alínea a) de que Os sócios efetivos desde que estejam no pleno uso dos seus direitos associativos, podem:

- participar nas Assembleias Gerais, desde que sejam sócios há mais de doze meses.

Ou seja, os Estatutos não exigem que sejam os últimos doze meses.

Aliás, nem fazia sentido que o exigissem basta pensarmos num hipotético caso concreto:

"Um sócio com quotas em dia durante 50 anos de 1963 até 2013 e no que final de 2013 tivesse deixado de pagar as suas quotas. Pedia agora a sua readmissão e pagava duas quotas referentes a Setembro e Outubro de 2014. Se a interpretação dos Estatutos fosse diversa da que defendo esse sócio não poderia participar e votar nas eleições do próximo dia 18 de Outubro."

" Ao invés um sócio que se tivesse inscrito apenas no Clube em Outubro de 2013 e tivesse pago as suas quotas durante o último ano poderia e pode participar e votar na Assembleia Geral de 18 de Outubro."

Ora isto, como é bom de perceber, não só não faria qualquer sentido como claramente não é esse o espírito da lei.

Pelo que ordeno que todos os sócios que tenham sido recentemente readmitidos ao abrigo da Campanha de Sócios dos Seguros Belenenses têm direito a participar e votar na Assembleia Geral Eleitoral de dia 18 de Outubro de 2014 desde que paguem a quota referente ao mês de Outubro de 2014 e tenham no total da sua filiação como associados mais de doze meses de vínculo, ainda que esses doze mesmos não sejam os últimos.

Mais comunico que não autorizo qualquer acesso de qualquer empresa informática à base de dados do Clube e informo de que se esta minha determinação for violada serei forçado a remeter a situação para as entidades públicas competentes.

Cumpra-se.

Lisboa, 1 de Outubro de 2014

Carlos Pereira Martins
Presidente da Mesa da Assembleia Geral do CF " Os Belenenses"

Carlos Martins começa hoje

Médio que rescindiu com o Benfica treinar-se com o plantel; só pode jogar em janeiro

Carlos Martins vai começar, por fim, a trabalhar com o restante plantel do Belenenses. O médio português, de 32 anos, já esteve nas instalações do Restelo e acertou com a estrutura dos azuis que irá realizar o primeiro treino hoje, às 16 horas.

Recorde-se que o 17 vezes internacional A rescindiu com o Benfica já depois do fecho do mercado de transferências, pelo que, ao não beneficiar do estatuto de desempregado, só poderá alinhar em jogos oficiais pelo Belenenses a partir de janeiro, altura em que o mercado reabre e os clubes estão novamente autorizados a inscrever jogadores.

Carlos Martins irá reforçar o meio-campo, setor onde o treinador Lito Vidigal tem apostado em Bruno China, Pelé e Sturgeon.

por O.M.

Capturar12

CARLOS MARTINS JÁ TREINA HOJE NO RESTELO

Carlos Martins, 32 anos, assinou ontem contrato com o Belenenses até final da temporada e esteve no Restelo para conhecer a nova casa.

Hoje, o médio começará a treinar sob as ordens de Lito Vidigal, mas só poderá ser utilizado em janeiro, porque, embora se tratasse de um jogador livre, só rescindiu o contrato com o Benfica depois do fecho do mercado de transferências.

por M.G.P.

Capturar1

Taira: «Mais agressivos no bom sentido»

CONSIDERA NORMAIS OS MUITOS AMARELOS VISTOS

Taira, antigo jogador do Belenenses, não se mostra surpreendido com os muitos cartões amarelos vistos pelos jogadores do clube ao cabo de seis jornadas do campeonato. Miguel Rosa é o jogador da Liga a ser castigado com a primeira série de cinco amarelos, enquanto Abel Camará está em risco e a dupla de centrais João Meira/João Afonso já contabiliza três.

Para o antigo internacional, formado no Restelo, “alguns dos cartões são fruto de lances fortuitos e não surgem em consequência de qualquer tipo de ansiedade, uma vez que a equipa está bem classificava e estabilizada na tabela”.

Taira considera tratar-se de uma lição aprendida na temporada transata a que se junta a própria personalidade de Lito Vidigal. “O Belenenses não é, de forma alguma, uma equipa violenta, mas os jogadores estão a ser mais agressivos no bom sentido. Estão, no fundo, mais focados no trabalho”, observa, adiantando: “Com o susto da temporada passada, lutando até ao final pela permanência, aparecem agora mais assertivos e afirmativos na disputa de cada lance.”

O treinador

O facto de Lito Vidigal colocar a equipa a jogar de forma incisiva pode, segundo Taira, contribuir para os árbitros atuarem mais disciplinarmente.

Atuando com mais agressividade, é natural que os elementos do plantel estejam mais vezes em risco, mas a equipa atua à imagem do seu treinador. Quando jogava, entregava-se muito à luta e não desistia de nenhum lance. É um homem que transmite as suas ideias e que trabalha nos limites, mas sempre pela positiva”, conclui.

Carlos Martins já se treina hoje

Carlos Martins será a grande atração da sessão de treino de hoje, que está agendada para as 16 horas, no Estádio Universitário de Lisboa. O médio assinou um contrato válido até ao final da presente temporada – um vínculo que não prevê um salário excessivamente alto, mas que contém cláusulas por objetivos – e esteve ontem no Restelo a conversar com Lito Vidigal.

O internacional português ambientou-se à sua nova casa desportiva e ouviu da boca do técnico quais são as principais metas a atingir tendo em vista o resto da época 2014/15, sabendo que só pode jogar a partir de janeiro.

Autor: JOÃO PEDRO ABECASIS

Capturar01

terça-feira, 30 de Setembro de 2014

Preço dos Bilhetes: Sócios com oferta de 1 bilhete para o mesmo sector

BELENENSES - VITÓRIA DE SETÚBAL

Contamos consigo este Domingo às 20h15 no Estádio do Restelo para a 7ª jornada da Liga Portugal - osBelenenses SAD vs Vitória Futebol Clube.

Porque o apoio dos adeptos é determinante para o nosso sucesso iremos oferecer 1 bilhete a todos os detentores de BlueCard e aos sócios que adquirirem bilhete para o jogo.

Sócios - 6 € com oferta de 1 bilhete para o mesmo sector

Acompanhante - 12 €

Topo Norte - 8 €

Lateral Nascente - 10 €

Central Nascente - 15 €

Bluecards - Entrada livre com oferta de 1 bilhete para o mesmo sector (tem que levantar na secretaria)

Menor de 18 - Entrada livre*

*Exclusivo para acompanhantes de sócio menores de 18 anos

Os bilhetes estarão disponíveis na secretaria do CFB a partir das 14h de amanhã.

osBelenensesSAD - Unidos, Invencíveis!

Uma boa lição de como perder um segundo num minuto...

Pacenses com grande força interior já sabem ganhar em casa | Azuis até sonharam com vice--liderança mas... | Num instante, falharam oportunidade e, na resposta, viram nascer o 1-0

219864_galeria_p_ferreira_v_belenenses_primeira_liga_j6_2014_15.jpgFutebol positivo, o elogio fácil sem cair no exagero. Paços de Ferreira e Belenenses fecharam a jornada com distinção, promovendo o jogo com o que de melhor se podia pedir: dinâmica, emoção e, acima de tudo, um espírito competitivo de louvar.

Neste futebol de charme, foi mais insinuante o Paços, chegando a um resultado que o campeonato desconhecia até aqui: a primeira vitória em casa dos castores correspondeu à primeira derrota fora dos azuis. Uma coincidência, no caso, sem... acaso, mas com algum capricho.

Ao minuto 19, Deus não quis o empate. A formação do Restelo perdeu a ilusão de saltar para o segundo lugar da classificação — Miguel Rosa atirou para golo, Hélder Lopes deu o corpo à bola e desviou a com sucesso — e viu o opositor dar o primeiro passo para o triunfo — na resposta, Urreta isolou-se e inaugurou o marcador com apontamento de classe.

Capturar12345678Os pacenses sentiram-se ainda mais confortáveis no encontro a partir daí, circulando a bola com segurança e aumentando os episódios de perigo na área visitante. O marcador esteve para funcionar mais algumas vezes até ao intervalo, mas foi só na segunda parte que Bruno Moreira ajustou a exibição ao resultado, carimbando a certeza dos três pontos.

Os homens da Cruz de Cristo nunca se encolheram, mas não demoraram a perceber o contexto de maior adversidade. Para trás ficavam as tentativas inglórias de Sturgeon e Deyverson, quando a imagem do empate ainda tinha alguma nitidez. Uma sensação perdida enquanto os estados de espírito se foram alterando, seguindo o caminho certo da sorte do jogo.

O árbitro - Jorge Sousa

Dois golos anulados, um para cada equipa. Da bancada concede-se o benefício da dúvida aos auxiliares de Jorge Sousa, que conduziu o encontro sem grandes percalços, recorrendo ao cartão só quando assim teve de ser.Capturar1234445
Crónica de RUI AMORIM

Capturar12

Os Melhores Adeptos: Episódio 39 2014/09/29 : VFC 2-0 Nacional e Paços ...


Os Melhores Adeptos: Episódio 39 2014/09/29 : VFC 2-0 Nacional e Paços ...: Clique aqui para ouvir o Episódio 39 Mais um excelente programa sobre o Vitória e o Belenenses e não só. Neste episódio # 39  do podc...

Um "hurra" de letra só para abrir o livro

FUTEBOL DE RISCO PACENSE COMEÇA A COLHER PRIMEIROS FRUTOS

219871_galeria_p_ferreira_v_belenenses_primeira_liga_j6_2014_15.jpgEsta caneta já aqui tinha aflorado a “anormalidade” do jogo pacense num futebol onde defender está primeiro, segurar vem a seguir e gerir é o freguês que se segue. Este Paços 2 de Paulo Fonseca apresenta-se sem trincos e com dois jogadores (Seri e Sérgio Oliveira) entre a defesa e o ataque que querem bola, que a sabem entregar a redonda e que conseguem descobrir alfinetes em qualquer palheiro.

Este modelo, que passa ainda por dois médios-alas, visa sobretudo abastecer os dois homens colocados na ponta da lança. O Belenenses, que chegou à capital do móvel com a possibilidade de chegar ao 2.° lugar, foi vítima do carrossel pacense e se mais golos não sofreu foi porque os ferros não quiseram e porque Cícero na hora de definir não esteve bem.

Lito Vidigal quis também ganhar e antes do 1.° golo pacense até teve uma oportunidade mas já aí dava para perceber o balanceamento do jogo: Paços a desfrutar daquele que é provavelmente o melhor relvado da 1.ª Liga. O golo de Urreta, um ex-benfiquista que andou nos últimos anos por aí aos trambolhões, ajudou a definir o que já estava a ser desenhado. Um grande golo. poucos segundos depois da tal oportunidade dos azuis (remate de Miguel Rosa na área intercetado por Hélder Lopes). Porque o futebol também é este sortilégio...

Com dois trincos muito plantados. o Belenenses tentava reagir através das movimentações de Sturgeon mas os “asas” (Miguel Rosa e Fredy) não estavam a conseguir entrar e o melhor que os azuis conseguiram foram duas finalizações de cabeça de Sturgeon, enquanto Deyverson era comprimido pelas duas torres da defesa pacense.

Capturar123456

Podiam ser mais

Vem a 2.ª pane e a toada do jogo manteve-se: Paços a jogar e a destrocar, Belenenses sempre em esforço e acossado. O 2.° golo dos castores confirmou apenas esta supremacia, com Bruno Moreira - que não é propriamente o jogador favorito de um sector da bancada central - a corresponder a mais uma grande iniciativa de Hélder Lopes.

Um golo que aconteceu precisamente quando Lito Vidigal se preparava para fazer duas alterações, que acabou mesmo por operar, com o treinador dos azuis a abdicar de um trinco. Mas nada mudou. O Paços pode ter abrandado um tanto mas ainda viu Cícero falhar o 5.° golo e Vasco Rocha, que entrara, acertar na barra. Pelo meio, o melhor que o Belenenses conseguiu foi uma bola de Deyverson que morreu na rede mas num lance precedido de fora-de-jogo. Se continuar assim, este Paços pode ser sensação do campeonato mas a procissão ainda está a formar-se.

O ÁRBITRO - JORGE SOUSA

Tecnicamente irrepreensível (o que está longe de ser uma novidade), Jorge esteve também muito bem auxiliado e, ao contrário de outros, usou com parcimónia os cartões.

OS JOGADORES DO BELENENSES

Capturar123456789Capturar12345678910

CRÓNICA DE  Eugénio Queirós

Capturar01

«Estava de cabeça quente»

MIGUEL ROSA VIU 5.° AMARELO E FALHA O PRÓXIMO JOGO

219879_galeria_p_ferreira_v_belenenses_primeira_liga_j6_2014_15.jpgMiguel Rosa estava desconsolado no final da partida pela forma como viu o cartão amarelo, que o coloca fora do jogo com o V. Setúbal, no Restelo. O avançado do Belenenses assume o erro, admitindo não se ter lembrado que já tinha quatro cartões amarelos acumulados.

Estava de cabeça quente e não reagi da melhor maneira”, referiu o jogador ao lance em que reagido mal a uma decisão do árbitro (agarrou na bola e atirou-a para o relvado). “Quero jogar sempre e fiquei triste por ter reagido daquela maneira. Agora só me resta ficar a apoiar os meus colegas contra o Setúbal”, salientou ainda o jogador formado no Benfica.

Sobre a derrota sofrida no Estádio Capital do Móvel, Miguel Rosa considera que o segundo golo arrumou com o jogo. “A partir daí ficámos sem possibilidades de reagir, mas a verdade é que sofremos o primeiro golo num contra-ataque e depois de a defesa do Paços ter tirado a bola em cima da linha de golo”, disse.

por JOSÉ SANTOS

Capturar01

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Resumo vídeo: Paços de Ferreira 2 - Belenenses 0

O Paços de Ferreira venceu o Belenenses por 2-0, no jogo que encerrou a sexta jornada da I Liga


219866_galeria_p_ferreira_v_belenenses_primeira_liga_j6_2014_15.jpg


Vidigal: «Poder chegar ao segundo lugar foi um prémio»

P. Ferreira-Belenenses: 2-0 (reportagem)

Lito Vidigal, treinador do Belenenses, em declarações aos jornalistas, após a derrota por 2-0 com o Paços de Ferreira:

«Foi um jogo bem disputado, bem jogado, frente a uma boa equipa, que ganhou bem. A primeira oportunidade do jogo é nossa, por intermédio do Miguel Rosa, e depois disso surge o primeiro golo do Paços de Ferreira».

«Quero dar os parabéns aos rapazes, porque trabalharam bem. Já foi um prémio para nós termos a possibilidade de terminar esta jornada no segundo lugar. Trabalhámos bem e, dentro das nossas limitações, fizemos um jogo interessante, revelando vontade de ganhar».

Por Sara Marques

Capturar1logo

P. Ferreira-Belenenses: 2-0 (crónica)

Castores saltam cinco lugares com uma equipa à imagem de Paulo Fonseca

Paços Ferreira-Belenenses

ADN identificado. Um meio campo forte e ágil, à imagem de Paulo Fonseca, foi o segredo para o Paços de Ferreira impor ao Belenenses a segunda derrota da Liga, à 6.ª jornada, e saltar cinco lugares na classificação.

Os homens do Restelo até podiam sair da Mata Real com o segundo lugar isolado, mas, para isso, tinham que vencer os pacenses. Com apenas uma vitória, e no 14.º lugar, teoricamente, os castores pareciam um adversário acessível, mas, mal soou o apito final, a teoria deu lugar a uma prática completamente distinta. O Paços entrou melhor e começou de imediato a visar a baliza de Matt Jones.

Com quatro pedras sólidas no meio campo: Sérgio Oliveira, Seri, o regressado Manuel José, e um endiabrado Urreta, a bola pouco parava nos pés dos jogadores pacenses. O corredor esquerdo, com Hélder Lopes (novamente) muito dinâmico, e Bruno Moreira esforçado e preciso, era o setor mais perigoso, já que, apesar de Manuel José ter tentado por várias vezes servir Cícero, este anda desentendido com a baliza.

O Belenenses entrou cauteloso, comme il faut, tentando fechar os caminhos da baliza e apostando nos contra-ataques rápidos para chegar junto a Defendi. Aos 18 minutos, Miguel Rosa conseguiu isso mesmo, chegar à área adversária, e só a intervenção oportuna de Hélder Lopes impediu que fizesse o 1-0.

Na resposta, Bruno Moreira colocou para Urreta, que fez uma arrancada até à área e, quando chegou junto a Matt Jones fez um chapéu ao guarda-redes do Belenenses. Estava aberto o marcador, e o jogo também.

O Belenenses queria responder ao golo, o Paços queria ampliar a vantagem. Seguiram-se 10 minutos de lances em ambas as balizas, que poderiam ter resultado em golo. Fábio Sturgeon remata para a defesa de Defendi. Sérgio Oliveira atira por cima. E Matt Jones atira-se aos pés de Cícero para impedir o remate.

O intervalo chegou com o empate e, embora os números do marcador parecessem parcos, a vantagem traduzia a superioridade pacense em campo.

O Belenenses chegou para a segunda parte determinado e começou a atacar a baliza de Defendi, obrigando o Paços a recuar. Miguel Rosa atirou ao lado e os centrais pacenses tiraram algumas bolas com selo de golo. Deyverson ainda colocou a bola dentro da baliza, mas estava em fora de jogo e foi invalidado. Mas acabaria por ser o Paços a ampliar. Após um cruzamento da esquerda, o avançado rematou na área, para o 2-0.

Até ao final, o Paços fez um verdadeiro ataque à baliza de Matt Jones. Bruno Moreira ainda voltou a colocar a bola na baliza, mas estava em fora de jogo, e o golo foi invalidado. Cícero teve, por diversas vezes, o golo nos pés, mas conseguiu rematar por cima e ao lado, mas nunca para o sítio certo. Quase no final, Vasco Rocha ainda atirou à trave, mas o marcador não voltaria a mexer.

P. Ferreira-Belenenses: 2-0 (destaques)

O Momento

Minuto 18: A prova de que no futebol, tudo muda em alguns instantes. Num momento, Miguel Rosa está a fazer um remate à baliza que Hélder Lopes impediu, in extremis, de dar o primeiro golo do encontro aos visitantes, numa altura em que o Paços até estava a jogar melhor. No momento seguinte, após Defendi ter colocado a bola para o meio campo, Bruno Moreira deixa para Urreta, que faz uma arrancada até chegar à área, e termina com um chapéu a Matt Jones, colocando o Paços em vantagem.

Outros destaques:

Miguel Rosa: Tentou, tentou, e esteve tão perto do golo. Logo aos 18 minutos, com o jogo ainda empatado a zero, foi Hélder Lopes quem lhe roubou o golo. Num jogo em que não esteve ao nível habitual, também por culpa do adversário, foi dos mais perigosos do Belenenses, mas não conseguiu faturar.

Palmeira: A ocupar a posição de lateral direito, na ausência de Nélson, parecia, ainda assim, estar em todo o lado, aparecendo também muitas vezes na área adversária. Terminou o jogo exausto devido a essa (tentativa de) omnipresença.

Por Sara Marques

Capturar1logo

«Fizemos um bom desafio dentro das nossas possibilidades» – Lito Vidigal

Lito Vidigal (foto ASF)

O treinador do Belenenses, Lito Vidigal, após a derrota frente ao Paços de Ferreira (2-0), destacou o esforço demonstrado pelos seus pupilos para tentarem garantir um bom resultado.

«Quero dar os parabéns aos rapazes, porque trabalharam bem. Acho que já foi um prémio chegar esta jornada com a possibilidade de subir ao segundo lugar», afirmou Lito Vidigal, em declarações à Sport TV.

O técnico do Belenenses prosseguiu nos elogios aos seus jogadores.

«Foi um jogo difícil frente a uma boa equipa. Agora, temos de começar a preparar o próximo jogo. Fizemos um bom desafio dentro das nossas possibilidades. Aliás, a primeira oportunidade de golo foi nossa, por Miguel Rosa

Redação

Capturar12

Resultado final: Paços de Ferreira 2 Belenenses 0

ESTÁDIO CAPITAL DO MÓVEL - 29 SETEMBRO - 20 HORAS

Capturarpaçosdeferreirabelenenses

clip_image001clip_image002clip_image003
clip_image004clip_image005 
clip_image006
clip_image007
capturarsporttv

Equipa do Belenenses (onze oficial): Matt Jones, Palmeira, João Meira, Gonçalo Brandão, Filipe Ferreira, Bruno China, Pelé, Fredy, Miguel Rosa, Fábio Sturgeon, Deyverson

Suplentes: Hugo Ventura, André Teixeira, João Afonso, Tiago Silva, Mailó, Fábio Nunes e Abel Camará

Paços de Ferreira: Defendi; Jailson, Ricardo, Rafael Amorim e Hélder Lopes; Urreta, Sérgio Oliveira, Seri e Manuel José; Cícero e Bruno Moreira

Suplentes: António Filipe, Boaventura, Romeu, Farias, Poulson, Nélson Pedroso e Vasco Rocha

18 Min - Golo do Paços de Ferreira por J. Urretaviscaya. Defendi a colocar em Bruno Moreira e Urreta a arrancar e a rematar num chapéu a Matt Jones…

Intervalo - Comentário Jornal Record: O P. Ferreira chega ao intervalo em vantagem fruto de uma boa entrada na partida, com muita posse de bola nos primeiros minutos. O Belenenses demorou a aparecer mas a verdade é que podia mesmo ter marcado antes da equipa da casa. Depois do golo, o jogo abriu e tornou-se mais animado.

63 Min - Golo do Paços de Ferreira por Bruno Moreira que amplia a vantagem! Um cruzamento vindo da esquerda é intercetado, com a bola a sobrar para o avançado que, no coração da área, não perdoou.

Capturar

Comentário Final - Crónicas Azuis: Vitória justa do Paços de Ferreira que tentou em futebol mais apoiado, controlar o jogo e chegar assim à vantagem no marcador. O Belenenses lutou com as forças que tinha, e até foi a equipa que quase inaugurava o marcador e mesmo em desvantagem, na parte final da primeira parte e nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, teve oportunidades para igualar, mas o segundo golo do Paços matou o jogo. O Belenenses tem um problema de velocidade de jogo, principalmente na recuperação de posição. Tanto os defesas centrais, como o médio centro Bruno China (em manifesta falta de forma) são muito lentos, a zona central da nossa equipa sofre imenso e é um ponto débil do conjunto.

Matt Jones - Sofreu mais um golo de chapéu, mostrou-se impotente, sem recursos, não fez tudo no primeiro golo (falta loucura, falta arrojo). O seu jogo com os pés tem muito a melhorar, mesmo muito. Neste jogou não foi obrigado a defesas onde se evidencia, que são os lances entre os postes, onde mostra ser um excelente guarda-redes, tem muito a corrigir.

Palmeira - É uma adaptação a lateral, cumpre, embora hoje tenha estado menos feliz em alguns lances, no entanto a sua entrega é exemplar.

João Meira e Gonçalo Brandão - Muito posicionais, ambos sem velocidade, fizeram um jogo normal e habitual.

Filipe Ferreira - Muito trabalho pela frente, lutou bastante, ainda tentou ir ao ataque, mas com pouco sucesso. No entanto é um jogador que progrediu muito e mostra valor.

Bruno China - Continua numa série de jogos consecutivos, com exibições muito pobres, um mau momento de forma, que merecia banco, houvessem soluções no plantel…

Pelé - Lutou bravamente, tem melhorado a qualidade do seu jogo, melhores índices físicos, talvez o próximo trinco, quando o Rodrigo Dantas estiver apto.

Fredy - Muito colado ao seu corredor, pouco esclarecido e afoito no ataque, com muitas preocupações defensivas, em primeiro lugar tinha de ajudar Palmeira. Exibição sem rasgos…

Miguel Rosa - Levou o 5.º amarelo, logo já não joga o próximo jogo. Teve o golo nos pés, a primeira oportunidade do Belenenses e do jogo, mas esteve muito pouco inspirado, tal e qual Fredy no corredor oposto, apenas e quase tiveram um jogo de combate.

Fábio Sturgeon - Uma primeira parte com alguns momentos interessantes, uma boa chance de cabeça, um jovem com talento, à procura de minutos que o levem a um nível mais estável e eficaz das suas apresentações.

Deyverson - Foi o mais esclarecido no passe, na sua execução, mostra qualidade quando toca na bola, quase picava o ponto, no segundo tempo, tendo sido algo lento, deixando assim o adversário antecipar-se. Saiu cansado, mas é uma mais valia.

Abel Camará - Apenas muita luta, pouco esclarecimento.

Tiago Silva - Está longe da sua melhor forma, falta-lhe confiança e minutos, pois talento, todos sabemos que tem, precisamos de ti!

Fábio Nunes - Entrou nos últimos momentos, nada a assinalar.

Vamos lá voltar a ter os pés bem assentes no chão, o nosso campeonato é o da manutenção, não podemos exigir mais a um plantel curto, com muito poucas soluções, principalmente a nível do meio campo.

Força Rapazes!!

Força Lito!!

Viva o Belenenses!

A Fúria Azul fez 30 anos

Completou ontem 30 anos de existência | Fundação em 1984

Parabéns!

Vídeo comemorativo dos 95 anos do CF osBelenenses

Este vídeo passou em exclusivo no jantar comemorativo dos 95 anos do CF osBelenenses


Capturar95anos

video

Créditos; Os Belenenses - Sergio Brilha, Pedro Pinto, João Salgado e Nuno Domingues

Já abriu a sétima escola mas presidente ainda quer mais

CONTACTOS EM ANGOLA, EUA, CANADÁ E MOÇAMBIQUE

Foi inaugurada este fim-de semana a sétima escola fora do complexo desportivo do Restelo, designada Belenenses Lisboa Centro e situada no Campo do Operário. O presidente António Soares esteve na cerimónia e garantiu que o projeto ainda se vai expandir mais, uma vez que está "a ganhar uma dinâmica notável para quem partiu quase do zero e com um atraso considerável face a outros clubes".

"Temos previsto continuar a engrandecer a base da pirâmide do futebol formação e já temos bastantes parceiros interessados em abrir mais escolas futebol Belenenses, fora da grande Lisboa, o que nos permitirá alcançar a dimensão nacional que temos em adeptos e sócios", disse António Soares, acrescentando que há "contactos muito avançados em Angola, Estados Unidos, Canadá e Moçambique".

O presidente destacou que se trata de um "projeto desportivo enquadrado num outro mais alargado que envolve toda a formação de futebol".

António Soares reforçou que "tudo é pensado numa lógica de aumentar a capacidade competitiva das equipas, ter os melhores atletas e cada vez mais vitórias."

O presidente do clube do Restelo frisou que o "trabalho de fundo", já começa a dar frutos. "Conseguimos nos Sub-14 ganhar três campeonatos em Lisboa, vencer torneios nacionais e internacionais de prestígio e alcançar vitórias contra as outras equipas grandes nacionais e contra alguns colossos da formação internacional como o Liverpool, Valencia, Bétis e Deportivo da Corunha. Este ano estamos já a mostrar mais qualidade e mais valor nos juniores, juvenis e iniciados. Contamos com grandes talentos que chegarão ao topo de certeza", referiu.

Capturar01

João Meira mira a vaga deixada por… Nelson

EQUIPA AZUL TERÁ DE MUDAR A DEFESA

58182_672620469491336_6438636545689027099_nTal como Lito Vidigal declarou no passado sábado, quando existe um problema num sector da equipa, é natural que isso interfira em outras zonas do campo. Tal deve verificar-se desta vez, depois da lesão do lateral-direito Nélson. E que esse problema vai mover, mais uma vez, o central Mário Palmeira para a ala, abrindo assim uma vaga no centro da defesa. Gonçalo Brandão, que também tem estado a braços com alguns problemas físicos, deverá ser o escolhido para o eixo defensivo, tal como já aconteceu no último encontro, frente ao Marítimo, e terá a companhia de João Meira.

O central foi suplente no jogo anterior, mas após a lesão de Nélson, saltou do banco para preencher o lugar de Palmeira, entretanto encostado à direita. Perante os bons resultados que esta solução apresentou, é natural que Lito a mantenha.

A visita a P. Ferreira pode contar também com um possível regresso de Abel Camará ao lugar de extremo-direito, em detrimento de Fredy. Lembre-se que até ao incidente do internacional sub-21 português numa noite em que levou uma facada, era aposta regular de Lito. Os índices físicos parecem agora recuperados e a titularidade chama por Abel.

Capturar1234

Seguros

Intocável deve manter-se o meio-campo, com Pelé e Bruno China a assumirem as despesas, principalmente depois da indisponibilidade de Rodrigo Dantas.

O brasileiro está ainda a recuperar de um problema físico que já o vem afastando dos jogos do Belenenses nas últimas duas semanas. Ainda chegou a ser ponderado o regresso para esta deslocação a P. Ferreira, mas a verdade é que não está clinicamente apto e fica de fora. Dantas completa, com Nélson, o boletim clínico dos azuis.

por J.P.

Capturar01

Ataque à... Champions!

Quem diria que à 6.ª ronda azuis poderiam estacionar no 2.° lugar? | Há mais de 40 anos que não acontecia | Melhor só mesmo Depireux

217501_galeria_belenenses_v_maritimo_primeira_liga_j5_2014_2015.jpgCheira a... Champions no Restelo. A conjugação dos resultados nesta sexta ronda escancara as portas do 2.º lugar à equipa de Lito Vidigal, algo que nesta fase da prova não acontece, imagine o leitor, há mais de quatro décadas.

Um campeonato ganho pelo Benfica, esse de 1963/1964, e que terminou com o azuis estacionados na 6.ª posição. Melhor só mesmo uma vez, em 1986/1987, com a equipa então treinada pelo belga Henri Depireux a liderar o Campeonato, que terminou tal qual aquele outro, à 6.ª jornada.

Números apenas, mas que pelo menos poderão estimular os espíritos dos jogadores belenenses a escreverem mais uma bela página nesta campanha que, há não muito tempo, se chegou a temer que pudesse ser cinzentona. Lito Vidigal, porém, de forma hábil, moldou a equipa à sua imagem, humilde e trabalhadora, fazendo sonhar os adeptos.

O jogo com o Paços é, pois, um bom teste para avaliar a capacidade deste Belenenses, até porque o terreno dos castores é fértil em tudo menos... em vitórias azuis. Em catorze partidas, contabiliza das a Liga e a Taça de Portugal, temos oito empates, quatro vitórias dos anfitriões, a última na época passada, e apenas dois triunfos dos lisboetas (2006/07 e 2007/08).

Capturar123456

Primeiro duelo

Paulo Fonseca e Lito Vidigal cruzaram-se no Belenenses, como jogadores. na época de 1996/1997. Um era defesa-central e o outro lateral-direito, em mais de 20 encontros jogaram lado a lado com a cruz de Cristo ao peito. Ambos seguiram a carreira de treinador, porém, ainda não se defrontaram, também porque o percurso de ambos nesta profissão ainda é curto. Esta será, por isso, a primeira vez em que os dois estarão em lados opostos da barricada.

por NUNO SARAIVA SANTOS

Capturar12

Site Meter

Mapa Mundo


contador visitante

Visitas do Mundo!

Mapa Mundo - Hora Mundial